Sesc Vila Mariana apresenta a segunda edição do Projeto Sankofa

O Sesc Vila Mariana será um espaço de resistência da cultura negra e suas ramificações pelo mundo a partir do mês de novembro. A Unidade promove a segunda edição do Projeto Sankofa Memórias de Mão Dupla, com uma programação diversificada, que abrange diversas linguagens e ações. Com o olhar voltado para o Dia da Consciência Negra (20/11), as atividades estimulam a reflexão sobre o histórico de violência contra os africanos escravizados no Brasil e também buscam incentivar obras simbólicas do legado cultural dos negros e afrodescendentes.

tambor

Macumba Jam / Clique de Joao Nascimento (imagem de divulgação)

No cerne das ações e atividades programadas para este mês, a revitalização e revalorização das contribuições do continente africano para a cultura brasileira e para o universo da cultura negra diaspórica, a partir da ideia de memórias de mão dupla. Sankofa associa-se às ideias de retornar ao passado para resgatar algo. Na simbologia do ideograma, encontramos os três períodos temporais: olhamos para o passado para entender o presente e construir um novo futuro, um futuro diferente.

A programação do Projeto Sankofa Memórias de Mão Dupla terá prosseguimento nos próximos meses.


As atividades iniciam-se já no dia 6, com a primeira sessão da Exibição de Curtas: Cinema Negro. Nas exibições, que acontecerão em todas as sextas-feiras até o dia 18/12 (exceto no dia 20/11), curtas-metragens que discutem a ancestralidade negra no Brasil. Ainda na programação de Cinema e Vídeo, durante os sábados do mês acontecerão sessões especiais do Cinesábado, contemplando a temática do Projeto Sankofa: serão exibidos títulos como “Alma no Olho” (Zózimo Bulbul, 1974, Brasil), “Kbela” (Yasmin Tainá, 2015, Brasil), e “Preço do Amor” (Hermon Hailey, 2014, Etiópia) no dia 7, “Mumbi” (Viviane Ferreira, 2010, Brasil), “Cinzas” (Larissa Fulana de Tal, 2015, Brasil) e “Afripédia Senegal e Angola” (Teddy Goiton, 2014, Etiópia), no dia 14, “Carolina” (Jefferson De, 2003, Brasil), e “Preço do Perdão” (Mansour Sora Wade, 2001, Senegal), no dia 21, e “Hoje é Dia de Jerusa” (Viviane Ferreira, 2014, Brasil) e “Gênesis” (Cheik Omar Sissoko, 1999, Mali) no dia 28. A programação segue em dezembro, com exibição de outras obras, inclusive com uma retrospectiva de Zózimo Bulbul. A curadoria da mostra é do Centro AfroCarioca de Cinema. A série “Diz Aí: Extermínio da Juventude Negra”, de Claudio Maneja Jr e Victor Luiz dos Santos também será exibida, de terça a domingo, das 10h às 21h30.

Já no dia 7, o Projeto Sankofa segue com a programação de dança. O Grupo Gumboot Dance Brasil apresenta o espetáculo “Yebo”, às 17h. Além do espetáculo, que será reapresentado no dia 19/12, o grupo promove um workshop em que apresentará as técnicas do Gumboot Dance aos interessados, no dia 27, às 19h. A Trupe Benkady traz sua participação, com o espetáculo “Diálogos Ancestrais”, em que propõe uma conversa entre os ritmos e movimentos tradicionais da cultura Mandingue, no dia 14, às 17h30. A cultura Mandingue será o tema de outra atividade, no mesmo dia: a “Vivência de Dança Africana”, com Flávia Mazal, às 15h. No final do mês (29/11), é a vez do encontro “Macumba Jam”, com a Cia. Treme Terra; a atividade é aberta a capoeiristas, músicos, dançarinos, batuqueiros e brincantes e promete criar um espaço aberto de experimentações e improvisações.

A programação musical do Projeto Sankofa começa no dia 8, às 16h30, com o show do rapper Ba Kimbuta, que traz o repertório do álbum “Universo Preto Paralelo” para a Praça de Eventos da Unidade. Nas duas semanas que se seguem, o Sesc Vila Mariana recebe vários shows: Anelis Assumpção apresentando seu disco “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários” nos dias 12 e 13; Carlos Dafé, multi-instrumentista pioneiro da soul music no brasil no dia 20; Batucada Tamarindo, com sambas do recôncavo baiano, afoxés e samba de roda no dia 21; Congada do Parque São Bernardo, com Mestre Ditinho, no dia 22, e Bukasso e Banda Mutoto, que apresenta sua mescla da sonoridade brasileira às guitarras “Soukous Music”, da República Democrática do Congo no dia 29. A oficina “Jogos e Brincadeiras de Moçambique”, do projeto Ensino de Música para Educadores, também fará parte da programação do Projeto Sankofa. A atividade acontece às quartas, de 11 a 25/11.

As artes visuais também estão presentes na programação do projeto, com o curso “A Representação do Negro nas Artes Visuais”, com Juliana dos Santos, de 17/11 a 8/12, sempre às terças, às 19h.

No final de semana dos dias 14 e 15, a oficina “Construção de Bonecas Abayomi” apresenta a técnica das tradicionais bonecas e seu universo simbólico. Aos sábados, de 21/11 a 19/12, o contador de histórias Oswaldo Faustino apresenta o espetáculo “Luana e as Sementes de Zumbi”, em que uma menina remanescente dos quilombos acorda assustada, ouvindo tambores e um chamado de esperança. A contação acontece sempre às 15h30.

As atividades físicas também estão na programação do Projeto Sankofa, com apresentações de Capoeira e Maculelê, nos dias 7, 8 e 21/11 e 5/12, com a Associação Casa Grande e Senzala.

O Clube de Leitura terá uma edição especialmente pensada para o projeto, no mês de novembro: a obra Ualalapi, do escritor moçambicano Ungulani Ba Ka Khosa, será o livro escolhido para os participantes debaterem e compartilharem suas experiências, dúvidas e impressões de leitura. A mediação do encontro, que acontece no dia 26, será de Allan Rosa, historiador e arte-educador.



Serviço:

Projeto Sankofa Memórias de Mão Dupla
A partir de 6 de novembro

Fonte: Sesc Vila Mariana