Ricardo André Frantz

(Imagem divulgação)

Natural de Caxias do Sul, Ricardo obteve o Bacharelado em Pintura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1990, sob a orientação de Renato Heuser.

Já realizou diversas exposições individuais e coletivas com pinturas, instalações e fotografias no Rio Grande do Sul e em São Paulo.

Entre 1992 e 2011 foi servidor público concursado da Secretaria da Cultura do Estado, e trabalhou no Museu de Arte do Rio Grande do Sul como coordenador dos núcleos de Exposições e de Acervo, além de realizar as curadorias para boa parte das mostras do acervo. Participou do Projeto Antarctica Artes com a Folha, em São Paulo, em 1996.
eternos

As telas exibidas apresentam temáticas afáveis, agradáveis e belas, são reiterações de lugares-comuns e, como diz Frantz, “de uma banalidade carregada de afetos”.

A curadoria do artista plástico Chico Machado propõe um exercício sobre a especificidade e a interferência dos meios no processo de transposição de um fato físico ou de uma imagem do real sensível para a fotografia, e da fotografia para a pintura.

 

Fonte: Dóris Fialcoff – Fundação ECARTA