Marcos Arakaki – Maestro

Natural de São Paulo, Marcos Arakaki concluiu sua graduação em música pela UNESP – Universidade Estadual Paulista, na classe de violino do prof. Ayrton Pinto. Em 2004 concluiu o mestrado em regência orquestral pela University of Massachusetts. Participou do Aspen Music Festival and School (2005) recebendo orientações de David Zinman na American Academy of Conducting em Aspen nos Estados Unidos, além de masterclasses com os maestros Kurt Masur, Charles Dutoit, Sir Neville Marriner dentre outros.

Desde 2011 Marcos Arakaki é maestro associado da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Ao longo de sua carreira, tem dirigido importantes orquestras brasileiras como a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, Orquestra Filarmônica de Goiás, Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Campinas, do Espírito Santo, da Paraíba, do Rio Grande do Norte, de Recife, da Universidade de São Paulo, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra de Câmara da OSESP e a Camerata Fukuda, dentre outras. No exterior dirigiu a Orquestra Filarmônica de Buenos Aires, a Orquestra Sinfônica de Xalapa, a Orquestra Filarmônica de Universidade Autônoma do México, a Kharkiv Philharmonic na Ucrânia e a Boshlav Martinu Philharmonic na Republica Tcheca.

Marcos Arakaki

Já regeu importantes artistas, como os pianistas Sergio Tiempo, Gabriela Montero, Anna Vinitiskaya, Sofya Gulyak Ricardo Castro e José Feghali, os violinistas Rachel Barton-Pine, Chloë Hanpslic e Luis Fílip, o contrabaixista Günter Klauss, o clarinetista Eddie Daniels, o trompista/trompetista David Gérrier, o violonista Yamandú Costa, entre outros nomes. Também realizou parcerias com músicos populares, dentre eles, Sivuca, João Donato, Ivan Lins, Fafá de Belém; e com os atores Dira Paes, Zezé Polessa, Edwin Luisi e Sandro Christopher.

Sua trajetória artística é marcada por prêmios destacando o I Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Jovens Regentes, promovido pela Orquestra Petrobrás Sinfônica em 2001, e o Prêmio Camargo Guarnieri, concedido pelo Festival Internacional de Campos do Jordão em 2009. Em ambos se consagrou como primeiro colocado. Foi também semifinalista no 3o Concurso Internacional Eduardo Mata realizado na cidade do México em 2007.

Fonte:
Assessoria de Impresa