Hulda Bittencourt

Foi nos anos 50 o estopim da carreira da dançarina Hulda Bittenccourt, quando começou a frequentar as aulas da bailarina russa Maria Olenew, Hulda trabalhava em um banco e fazia figuração em coreografias da TV Tupi. O marido Edmundo Bittencourt, com que se casaria 1960, foi seu grande incentivador no balé. Ele fez com que ela desistisse da TV e insistisse na dança.

E deu certo. Tão certo que ela criou a Cisne Negro Cia de Dança. Há 40 anos, Hulda recebia na sua escola de dança vários estudantes de Educação Física da USP, interessados em ter aulas de balé com uma das pupilas de Maria Olenewa. Sem nunca ter trabalhado como professora de homens antes, dona Hulda aceitou a empreitada e desta forma, deu início a uma das maiores companhias de dança do Brasil.

“Comecei meus estudos em dança no Estúdio de Ballet Cisne Negro, e lá me formei como profissional” – conta Camila Rapuano, diretora da Bàllo Centro de Dança. “Para mim é uma honra ter feito parte dessa história. Lembro da minha emoção quando fui chamada por dona Hulda para estagiar na companhia profissional. Hoje, como empresária no meio da dança consigo realmente imaginar as dificuldades que uma empresária e artista como Dona Hulda passou, no início de tudo. E no caso dela em um tempo que a dança não era tão aceita como hoje. Esse espetáculo é uma homenagem linda e merecida! ”

Fonte: ballo Centro de Dança