O Encanto do Mar e o Som do Trovão, de L. Batista

Em uma cidade provinciana, onde a fé movimenta um cenário de humildade e dedicação às suas crenças, nasce uma criança predestinada a se tornar um grande músico. Com o amor desenvolvido por meio da sabedoria e o cotidiano de seus anciões, louva suas divindades vivendo uma história de intensa paixão e desventuras. Uma lição de perseverança é ensinada a cada revés casual, apresentando a coerência do saber antigo aos adeptos do Candomblé, que absorvem a tolerância, o respeito e o espírito de coletividade herdados de seus antepassados.

OEncantoDoMar

Uma obra baseada na tradição da oralidade e no lirismo das extraordinárias histórias adquiridas na vivência de um adepto da cultura do Candomblé brasileiro, que tem por objetivo desmistificar toda a visão pejorativa, pautada pela falta do conhecimento material dos conceitos religiosos abordados no transcorrer da história, além de emocionar os corações daqueles que já viveram um amor proibido.

A vida dos personagens assemelha-se a situações reais, com as quais se identificarão tanto os iniciados quanto aqueles que se permitirem abrir suas mentes para as novidades de uma cultura antiga.

A obra, rica em conteúdo histórico e cultural do Brasil, contém, ainda, um glossário de termos em Yorùbá, o que facilita o entendimento do leitor e amplia seus conhecimentos.

Nascido na capital de São Paulo, L. Batista é o primeiro filho de dois irmãos. Seu pai biológico é hoje um dos Ogans mais antigos do Candomblé e detentor de grande sabedoria acerca do culto, o que garante a tradição e a oralidade adquiridas por toda uma vida. Foi nesse ambiente que o autor cresceu e desenvolveu seu aprendizado espiritual.

L. Batista é profissional da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, sendo membro do digníssimo Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo. Embora seja um profissional da área militar, seus dons e sua capacidade pessoal o levaram a registrar seu conhecimento em forma de literatura, trazendo à tona este livro que o leitor tem em mãos.

O autor também é iniciado nos ritos do Candomblé brasileiro, dentro do Ilé Oxumarê Araká Axé Ogodô, em Salvador/BA. Confirmado Ogan (sacerdote que não entra em transe) e detentor dos postos honoríficos de Olobé (O Senhor da Faca) e Ojú Obá (Os Olhos do Rei), que conferem o merecimento do conhecimento que lhe foi passado.

L. Batista estuda o idioma e a cultura Yorùbá, etnia originária da Nigéria, da qual seus costumes religiosos descendem. Seu professor, Olúmúyiwá Anthony Adékõyà, pertence a esse grupo étnico; é antropólogo reconhecido por ter lecionado na Nigéria e no Brasil, e por ter publicado uma das obras de maior valor a respeito da história dos Yorùbá: Yorùbá: Tradição Oral e História.

Fonte: Madras Editora