História da Mulher Negra é Retratada em Livro

Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher (8 de março), o gênero recebe uma bela homenagem em forma de livro. Procurando a construção de um novo olhar sobre a história e realçando o valor das mulheres negras como formadoras de nossa identidade, Schuma Schumaher e Érico Vital Brazil lançam “Mulheres Negras do Brasil”, uma co-edição Redeh (Rede de Desenvolvimento Humano) e Senac Editoras.

O livro partiu de uma pesquisa que durou três anos e percorreu todo o país, enfatizando os estados do Maranhão, Pernambuco, Bahia, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Os autores acreditam que se tirarmos a história escrava e mitos, como Xica da Silva, pouco resta para termos referência e detalhes sobre as mulheres negras na história nacional.

O conteúdo aborda estudos que datam de um período anterior à chegada dos europeus no Brasil, fazendo uma narrativa até os dias atuais. Nesse espaço, a mulher negra é revelada nas artes, na política, nos esportes e em outras atividades profissionais. Mais de 100 sacerdotisas afro-brasileiras são retratadas no livro, que traz ainda o engajamento nos projetos sociais e nas práticas ancestrais de benzedeiras e parteiras.

Autores do “Dicionário Mulheres do Brasil”, Schuma e Érico perceberam durante a confecção do livro que faltava uma publicação que mostrasse a importância da contribuição de negros e negras na construção do país. Animados com a idéia, colheram depoimentos, vasculharam acervos e documentos históricos até chegarem ao livro, que representa uma nova etapa do projeto “Mulher, 500 anos atrás dos panos”, desenvolvido pela Redeh.

Clique AQUI e conheça mais sobre a ONG RedeH.

Fonte: Redação do Grupo Cultural Afro Reggae

>> Veja todas as informações sobre "Cultura Afro-brasileira"
>> Inclua aqui o seu Artigo, Pesquisa ou Texto

Outros artigos:
> Identidade e desenvolvimento são interesses do Ministério da Cultura na África -  Daniel Merli e Juliane Sacerdote - Agência Brasil


 
< Anterior   Próximo >
Teatro Experimental do Negro
A militância pela arte

Image

Há 64 anos, Abdias Nascimento, valorizava, pelo teatro, o negro brasileiro
Fonte: Marília Oliveira - ACS FCP/MinC


Agenda - Culturas

Mameluco Afro Brasileiro

Dicas de Livros - Afro

Seleção Afro - Porta Curtas Petrobrás